Voltar à pagina inicial
 


:. Bem Vindo ao site do Sindicato, Paracatu-MG
,

 
:. Noticia
 

PROPOSTA NEXA
SINDICATO REIVINDICA MELHORIA NA PROPOSTA PARA APROVAÇÃO SOBRE PERMANÊNCIA NA SUPERFÍCIE
sem imagem

NEXA NÃO ACEITA RESULTADO DA CONSULTA AOS TRABALHADORES SOBRE MUDANÇA DE HORA DA PERMANÊNCIA NA SUPERFÍCIE

Os trabalhadores participaram com responsabilidade da consulta sobre proposta da Nexa de alteração na regulamentação da hora de permanência na superfície da mina. A votação secreta foi cercada de absoluto rigor, para garantir a participação de todos, e teve o acompanhamento de indicados pela própria empresa, tanto na coleta dos votos quanto na apuração do resultado.

A Nexa, no entanto, afirma ter dificuldade com o resultado. Alega que as medidas propostas são determinantes para a empresa diminuir custos e manter a operação. Chegou a informar que a mina no Peru abastece Três Marias a um custo muito inferior ao de Morro Agudo.

Pior ainda, a empresa solicitou ao Sindicato que voltasse a colocar a mesma proposta para nova votação dos trabalhadores. Do contrário, seria obrigada a implementar as medidas necessárias a partir de 15 de maio, suprimindo parte da hora extra habitual e aplicando indenização conforme o que estabelece a Súmula 291 do Tribunal Superior do Trabalho. Isto significaria à indenização correspondente ao valor de um mês das horas suprimidas (total ou parcialmente) para cada ano ou fração igual ou superior a seis meses de prestação de serviço acima da jornada normal.

A empresa pagaria somente 45 minutos a 60%. Trabalhadores receberiam a indenização abaixo dos R$ 5 mil, muitos receberiam um valor insignificante e alguns companheiros nada recebem.

Esta posição da empresa de não aceitar o resultado da consulta transtorna o Sindicato e os trabalhadores. O Sindicato afirmou que não tem como fazer nova consulta, sem que haja uma melhoria da proposta.

Não se justifica a Nexa ter participado de uma consulta democrática e rigorosamente fiscalizada, se a empresa desde então deixasse claro que não respeitaria um resultado que não fosse a aprovação. Para quê submeter ao desejo do trabalhador se a empresa decidiu agir autoritariamente?

O melhor a fazer, até mesmo pelo resultado da consulta, com números muito próximos de aceitação e negação, seria a empresa apresentar evolução das condições em uma nova proposta. Não faz sentido votar duas vezes a mesma proposta, principalmente debaixo de uma ameaça de piorar as coisas com a implantação de medidas ainda piores. Respeitar a opinião é o princípio para evoluir e chegarmos a uma proposta consensual (trabalhadores e empresa), sem ter a característica da imposição, da autoridade tacanha.

Somo trabalhadores que temos consciência e responsabilidade com as necessidades de nossas famílias e com a sustentabilidade da empresa.

Vamos evoluir juntos com a reciprocidade e o respeito que todos merecemos!

          

[+] Veja mais noticias              Voltar para página inicial

 
 
 
ir